Notícias - 07/12/2017

Resultados do Programa de Gestão Sustentável da Agricultura Familiar são apresentados em Encantado

A Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR) e a Emater/RS-Ascar realizaram na tarde de quarta-feira (06/11), no auditório Itália, em Encantado, o Seminário Regional de Gestão Sustentável da Agricultura Familiar. O objetivo do evento, que reuniu cerca de 200 pessoas – entre extensionistas, lideranças, representantes de entidades ligadas ao setor e agricultores –, foi apresentar os resultados parciais da política pública do Governo do Estado, operacionaliza pela Emater/RS-Ascar desde 2016.


Na ocasião, o coordenador estadual do programa, Célio Colle, ministrou palestra com o tema “Importância da Gestão na Emater para a Agricultura do RS”, em que apresentou números e informações sobre a política pública, que visa a promover a gestão e a adequação socioeconômica e ambiental das propriedades rurais familiares. “Até o momento são quase 10 mil famílias que já aderiram ao programa e outras 10 mil sensibilizadas no Estado”, ressalta Colle. “Fora os mais de 1.600 técnicos capacitados e as mais de 900 unidades de referência (URs) trabalhadas em solo gaúcho”, comenta.


Em sua fala, Colle também abordou os métodos utilizados durante a implementação do Programa e que buscam o aumento da eficiência e da eficácia na produção e a redução de custos e a penosidade no trabalho. “São ações sociais, ambientais e econômicas que buscam sensibilizar os agricultores levando-se em consideração as suas realidades, quais as políticas públicas disponíveis e quais as suas aptidões”, lembra. “A intenção da política pública”, finaliza, “é gerar instrumentos e conhecimentos para monitorar, projetar e avaliar sistemas de produção, de forma sistêmica”.


Para a família Lottermann, que produz aipim descascado em Lajeado, o programa veio para auxiliar em questões em que ainda havia certa dificuldade, como armazenamento da produção, comercialização e produtividade. “A parte ambiental, com melhorias na reservação da água e das condições do solo também integraram as ações realizadas com a família”, salienta a extensionista da Emater/RS-Ascar, Andréia Binz. “Para a nossa família, a gestão da propriedade envolveu a profissionalização, a tomada de decisões de forma conjunta e a disposição para se qualificar”, destaca a agricultora Rosane Lottermann.


Não é por acaso que Rosane, ao lado do marido Antônio, celebra a perspectiva de sucessão rural, já que o filho Bruno, de 14 anos, mostra disposição para seguir os passos dos pais. “Isso também é um estímulo”, analisa Rosane, que comemora o aumento da produtividade – atualmente são comercializadas 40 toneladas de aipim ao ano –, a legalização da agroindústria e o acesso a outros mercados, por meio dos programas de Aquisição de Alimentos (PAA) e Nacional de Alimentação Escolar (Pnae). “O próximo passo é implantar uma estufa com morangos em bancada”, projeta a agricultora, que também trabalha com bovinos de leite.


Outra família beneficiada pelo Programa é a Silva, que cultiva morangos em substrato, em Montenegro. Por meio de uma gestão mais qualificada, com o acesso a serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural e Social contou com melhorias diversas. “Nesse sentido, ainda que seja um iniciante na atividade, a perspectiva é dobrar a produtividade, que era de 160 gramas de morango por planta, até o final de 2018”, ressalta a extensionista da Emater/RS-Ascar Luísa Leupolt Campos. “Mas para os agricultores não é só renda, é melhoria nos procedimentos, no manejo, é olhar a propriedade como um todo", observa o produtor João Silva, de 24 anos.


O evento contou ainda com palestra do coordenador regional do programa, Cezar Burille, que analisou os resultados alcançados até então, apresentando conceitos e destacando a importância de se fazer gestão com base em informações concretas e de acordo com cada realidade. Outras autoridades, como o diretor técnico da Emater/RS, Lino Moura – no ato representando o presidente da Emater/RS, Clair Kuhn –, o gerente regional da Emater/RS-Ascar, Marcelo Brandoli, e o vice-prefeito de Encantado, Enoir Cardoso, também acompanharam o seminário.


Moura destacou a importância de se pensar a propriedade de forma organizada, com a consciência de onde se quer chegar. “Não se trata apenas de números, mas de tomada de decisões coletivas, de planejamento de acordo com oportunidades e olhando para a própria realidade”, comentou. O diretor técnico também fez ponderações sobre a sucessão rural, ressaltando a importância do diálogo e do envolvimento do jovem nos assuntos da propriedade. “Muitas vezes os jovens saem pra ganhar pouco na cidade porque lá ao menos eles ganham e é preciso fazer essa reflexão”, finalizou.


Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar - Regional de Lajeado

Jornalista Tiago Bald

Confira mais fotos