Notícias - 09/11/2017

Fruticultura é tema de tarde de campo em Encantado

Um grupo de produtores do município de Encantado participou na quarta-feira (08/11) de uma tarde de campo sobre Fruticultura. A atividade – organizada pela Emater/RS-Ascar em parceria com a Secretaria Municipal de Agricultura – foi realizada na propriedade do agricultor Fabiano Graciola, da localidade de Linha Anita. Na ocasião, foram apresentadas quatro estações de trabalho em que foi abordada a importância da produção para o autoconsumo, do manejo e os tratos da figueira, do preparo de calda bordalesa e seus usos na fruticultura e do uso de atrativos alimentares para a mosca das frutas.
 
Integrante do Programa de Gestão Sustentável da Agricultura Familiar da Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR) do Governo do Estado, o anfitrião do dia valorizou a atividade. “É sempre uma forma de trocar experiências e ampliar os conhecimentos sobre o tema”, destacou. Com 600 pés de figo da variedade Roxo de Valinhos implantados há cerca de cinco anos, Graciola, que é avicultor, tem a fruticultura como uma alternativa de renda a mais para a propriedade que divide com a esposa, com a filha e com os sogros.
O estímulo para a implantação do pomar partiu de um programa municipal de incentivo aos agricultores, realizado em parceria com uma indústria que processa figos e que está instalada em Encantado. “Para nós faltava e, na realidade, ainda falta matéria-prima”, explica Baltazar Berti, um dos sócios do empreendimento. Com o apoio da Prefeitura de Encantado que, por meio de política pública própria, concedeu a 15 produtores do município um bônus de 50% de desconto na aquisição das mudas, foi possível fazer o investimento que, agora, já começa a dar resultados.

“Como o pomar ainda é novo, na safra passada foram colhidos 1.500 quilos de frutas”, explica Graciola, garantindo que este número poderá dobrar neste ano. Para alcançar esse resultado, não são necessárias apenas poda e adubação adequadas ou mesmo a adoção de uma cobertura verde. “É preciso, ainda lá no começo, escolher bem o local do plantio e cuidar do solo, fazendo a correção se assim for necessário, além de tirar pedras e tocos”, destaca o agricultor, que realizou o módulo I do curso de Fruticultura Básica no Centro de Formação de Agricultores de Nova Petrópolis (Cetanp).

O extensionista da Emater/RS-Ascar Eduardo Mariotti Gonçalves salienta que a fruticultura como um todo tem crescido no município, a partir de políticas públicas estaduais – e que envolvem também o apoio do serviço de Assistência Técnica e Extensão Rural e Social – e municipais, por meio de programas de estímulo da Prefeitura. “Hoje, são cerca de 80 hectares de frutas no município, entre citros, banana, nozes, figo, entre outros, o que dá uma boa ideia da diversificação local”, comenta. 

 De acordo com Gonçalves, a expansão que ocorre também com as hortaliças, está relacionada à participação em outras políticas públicas, como o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). “Há uma perspectiva de ampliação da área plantada de frutas e verduras, que passam a se apresentar como uma alternativa a mais de renda para os agricultores, com mercado garantido, com baixo custo de investimento”, pondera o extensionista da Emater/RS-Ascar, Higor Barcelos.

Além dos já citados, contribuíram na atividade os extensionistas da Emater/RS-Ascar, Tatiane Turatti Orlandini e Cezar Burille. Esteve presente na tarde de campo o secretário de Agricultura, Joel Bottoni, que valorizou a atividade e a parceria com a Emater/RS-Ascar. “Uma ação como esta está de acordo com aquilo que buscamos, que é a promoção e a valorização do homem do campo e o fomento da produtividade no setor agropecuário”, observou. 
  
Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar - Regional de Lajeado
Jornalista Tiago Bald
 
Fotos: Cris Costa

Confira mais fotos